0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Pin It Share 0 Email -- 0 Flares ×

A famosa “trilha mais perigosa do mundo” fica dentro no Huashan National Park, na província de Shaanxi, China. O monte Huashan está localizado a cerca de 120 quilômetros de Xi’an, cidade conhecida por ser a base para a visita aos Guerreiros de Terracota.

Conhecida como Trilha da Morte, há dados (não oficiais) de que ocorram 100 mortes por ano no percurso. O que não é difícil de se acreditar, considerando que o aluguel dos equipamentos de segurança é pago e não é obrigatório.

DCIM129GOPRO

O lugar é acesso para templo taoísta, alguns que datam de 200 AC. O parque possui cinco picos, sendo quatro deles com mais de 2000 metros de altura.

A suposta trilha Plank Walk fica localizada a 2160m na face sul do South Peak, e é composta por algumas tábuas presas na lateral do Monte Huashan. Ela inicia com uma escada totalmente vertical de cerca de 15 metros, e depois segue a trilha, por pouco mais de 30 metros, chegando à um platô com um pequeno santuário.

Eu confesso que eu tenho uma queda por aventuras e grandes emoções, e quando eu mostrei para o Leandro as fotos desse lugar ele não ficou exatamente super empolgado. Porém eu estava tão louca para conhecer a trilha, que não conseguia tirar as fotos da cabeça e acabei nem pesquisando nada sobre o parque em si. Eu queria ir para a Trilha da Morte, e só.

DCIM128GOPRO

As informações em português são bem escassas, mas encontrei um blog gringo com todas as dicas sobre quando ir, como chegar, quanto custa e todos os detalhes. Com isso conseguimos ir por conta e foi bem tranquilo. Por isso vou deixar as dicas e tudo explicadinho aqui para tentar facilitar a vida de quem está se programando para ir.

Estávamos em Xi’an, onde pegamos um táxi até a estação de trem  (Xi’an North Railway) e de lá um trem expresso até Huashan North Station. O trajeto demora pouco mais de meia hora. Há também trens regulares, que levam entre uma e meia a duas horas,  mas estes param na Huashan Station.

Da Huashan North Station, fomos de táxi até o West Gate. Compramos a entrada e tíquetes para o teleférico, e estávamos resistentes quanto a comprar os bilhetes para o ônibus do parque, que nos levaria até o teleférico. Achamos tudo uma fortuna, e o ônibus nos parecia desnecessário, pensamos seriamente em ir de taxi e tínhamos certeza que sairia mais barato. Porém em função do horário decidimos garantir. E foi nossa sorte, porque é muito distante mesmo. Não lembro exatamente o tempo, mas levou uma eternidade, o caminho era sinuoso, subindo montanhas sem parar, e creio que nenhum taxista iria nos levar lá…

DCIM128GOPRO

A viagem de teleférico valeu cada centavinho que tiramos do bolso. Foi caro? Foi. Mas a estrutura que compõe o parque é impressionante, e tu consegue imaginar o investimento que foi para conseguir chegar a um lugar isolado assim. Foram 20 minutos em um teleférico quase todo de vidro, passando até por dentro de montanhas, simplesmente incrível. Esse foi o teleférico mais incrível que já vi na vida (o da Tiamen Mountain, alguns dias depois, era maior), simplesmente genial. Parece que há opções de trekking para chegar aos picos, mas não sei informar pois nem pesquisei a respeito.

DCIM128GOPRO

No topo, logo depois de chegar, tivemos uma surpresa super agradável: nem só da trilha da morte é feito esse parque. Pelo contrário, mesmo se eu não fosse fazer a trilha, eu ainda iria de qualquer maneira e tenho certeza que também seria um passeio maravilhoso.

 

DCIM128GOPRO

Nosso primeiro caminho foi para o West Peak, alí já víamos as dificuldades do inverno. Um frio terrível, uma dia com muito sol, o gelo derretendo nos degraus e várias quase desgraças aos nosso olhos.

 

subida west peak huashan

 

A construção que aparece na foto de cima possui um pequeno hotel, o West Peak Hotel. Se eu tivesse tempo, passaria uma noite ali para aproveitar o parque por dois dias. Passando por ele, o caminho segue até o West Peak.

west peak huashan

Descendo do West Peak, sentimos um cheiro maravilhoso de comida vindo do restaurante do hotel e decidimos parar para almoçar. E, para nossa surpresa (ok, depois de alguns dias na China, já não foi tão surpresa), ninguém falava uma palavra em inglês, o cardápio era todinho em mandarim e nosso tradutor no celular não funcionava.

almoço west peak huashan

Nosso pedido de comida foi feito apontando para as coisas que estavam nas outras mesas, e até hoje não sabemos o que era aquilo que comemos. Minha esperança é de que tenha sido tofu.

west peak

Descendo, seguimos o caminho contrário, mas não consegui identificar no mapa os lugares por onde passamos. Mas há uma série de locais lindos, com vistas belíssimas.

templo em huashan

Encontrar a trilha da morte não foi lá muito fácil, pois eu não sabia como perguntar em inglês. Mas usamos a mesma técnica da Rússia: foi só encontrar uma foto no celular, as pessoas olhavam e apontavam uma direção. Sempre funciona.

beira precipício huashan

 

A trilha da morte foi nosso último ponto de parada, e chegamos no horário certo. o último horário para entrar na trilha é bem mais cedo que o fechamento do parque, e conseguimos entrar por sorte. Minha recomendação é ir para lá logo que chegar, pois eu iria surtar se não conseguisse fazer a trilha.

 

A trilha começa em 15 metros de escada totalmente vertical, ali já se separa quem vai e quem desiste.

DCIM129GOPRO

Nao tem como piorar? Tem. Sempre tem. Da escada tu cai direto em degraus escavados na pedra. Para mim essa parte era pior que as tábuas, pois o espaço é menor.

DCIM129GOPRO

Dali em diante começa a parte que vemos nas fotos aterrorizantes: 30 centímetros de largura presos de maneira suspeita na montanha, com várias rachaduras e tal.

trilha da morte hushan início

 

Atualmente já tem dois cabos de aço presos na montanha para prender o cinto de segurança. Não sei se eles são avaliados periodicamente, mas já acho bem melhor do que a corrente que está lá a sei lá quantos mil anos…

DCIM129GOPRO

Dá um medinho no começo, mas de fato foi muito legal e bem menos aterrorizante do que pensávamos. Deu até para fazer pose para as fotinhos.

Poser huashan

No final chega- se à uma base com umpequeno templo escavado na rocha.

DCIM129GOPRO

Como depois da gente poucas pessoas entraram na trilha, ficamos esperando as que estavam mais perto chegarem e voltarem, assim voltaríamos sozinhos. Era um lugar lindo, então foi fácil matar tempo ali.

DCIM129GOPRO

Ah, tem mais uma surpresinha: é uma via de mão única. Você vai ter que voltar pelo mesmo caminho, o que não seria problema, exceto pelo fato de que entra e sai gente da trilha ininterruptamente. Ou seja, é necessário cruzar pelas pessoas naquelas tábuas de 30 cm de largura.

DCIM129GOPRO

Funciona assim: o mais medroso fica agarrado beijando a montanha, enquanto o outra passa pela parte de fora, coxando o coleguinha. Em todas as vezes que tive que fazer isso, eu passei por fora, mas como estava presa com o cinto, nem deu pavor.

 

DCIM129GOPRO

Essa foto aqui de baixo mostra bem direitinho como tu passar de degraus de metal para degraus escavados na rocha. É uma parte meio tensa, pois não é muito ergonômico, e é preciso planejar onde colocar cada pé para conseguir fazer a troca.

DCIM129GOPRO

Por fim, aquela sensação de desafio cumprido. Foi muito , muito legal a trilha. O Leandro não é o maior fã de altura e nem estava muito afim de fazer a trilha. Acho que foi só para me acompanhar e adorou.

 

DCIM129GOPRO

Dali tivemos que sair meio correndo do parque, pois estava perto do horário de fechamento e estávamos com medo de perder o último horário do teleférico.

Acabamos descendo até o cable car por outro caminho, que ainda não tínhamos passado, e vimos que há muitas outras trilhas legais por lá.

Deixamos todo mundo passar na nossa frente, e fomos sozinhos no teleférico. Ainda conseguimos assistir ao por do sol nas montanhas. Vinte minutos depois já estávamos lá embaixo. Para o ônibus, mais uma vez quase nada de espera.

 

A brincadeira não saiu barato, mas mesmo assim não nos arrependemos nem um pouco (todos os preços são para duas pessoas, em yuan).

Trem para Huashan: 110 CNY

Taxi para o parque: 20 CNY

Entradas do parque: 200 CNY

Ônibus até o cable car (ida e volta): 160 CNY

Cable car west peak (ida e volta): 480 CNY

Almoço na montanha: 62 CNY

 

O único arrependimento foi não ter separado dois dias para passear por lá. O plano seria subir em um dia pela manhã, passar o dia, assistir ao por do sol, dormir em um dos hoteis lá em cima, e no outro dia assistir ao nascer do sol e passar o dia lá.

Recomento muito!!

    • Camila Alves says:

      Oi Goldie!
      Que bom, faça isso mesmo. Além de pagar o cable car somente uma vez, o tíquete de entrada é válido por dois dias, então é mais uma economia.
      Ah, dá para subir caminhando, talvez seja legal subir pelo cable e descer caminhando (pra descer todo santo ajuda hehe).
      Boa viagem, beijos!

  1. Michele says:

    Que experiência!
    Estou anotando tudo pra quando chegarmos por lá!
    Só pra ter certeza, esses valores são em reais, certo?
    Valeu por compartilhar ☺

    • Camila Alves says:

      Oi Michele!
      Os valores são em Yuan, já corrigi ali para ficar claro, obrigada. Em reais é aproximadamente a metade.
      Porém tenha em mente que os valores mudam muito de acordo com a época, pegamos os preços da baixa temporada. No Travel China Guide tem os valores de cada época. O tíquete de entrada vale por dois dias.

      Boa viagem.
      Depois vem contar se aproveitaram!!
      😉

  2. Mario says:

    Meu deus do Ceu….parabenssss pelo post, estou indo agora em outubro e realmente as informaçoes em portugues sao bem escassas, ja anotei tudo aqui hehe, estou com 3 duvidas, qual foi a epoca que vcs foram? estou com muito medo de la pro dia 22/10 esteja muito frio ou com neve, segunda duvida sabe me dizer o nome do hotel la de cima? Terceira e ultima duvida hehe Qual caminho fica a prancha da morte, quero muito subir por causa desse caminho hehe, alguns falam que fica no pico sul e outro no pico west, estou na duvida, se puder me responder agradeçoooo!!!! Muito Obrigado xD

    • Camila Alves says:

      Olá Mario!!

      Fique tranquilo, fomos no final de dezembro, estava bem frio mas suportável, tinha neve em poucos lugares, nada que tenha atrapalhado.
      Pra ter ideia, eu estava vestida com meia calça + legging, blusa segunda pele + Lã fina + casaco de pluma, uma meia só (reservas na mochila para trocar), tênis comum.
      Não sei o nome dos hotéis não…

      Que eu me recorde, e olhando no mapa do parque, fica no pico sul.

      Aproveite muito, o parque em si é muito legal, vale cada yuan!!

  3. marcelo barreto says:

    Olá, parabéns pelo post e coragem!!
    Estou indo na proxima semana para China e como XIan já está nos planos, vou me aventurar nesta montanha, nem que seja para passear de teleférico kkkk
    Vejo muitas imagens desta trilha de madeira, qual é a extensão dela mais ou menos? é possível alugar ou levar mosquetoes de segurança?
    Caso eu dê para trás neste trecho punk, ainda assim vale o passeio?
    Valeu, abraços.

    • Camila Alves says:

      A extensão dessa parte não deve ter 100 metros. Eu ache bem curtinha mesmo!
      Tem mosquetões para alugar sim, e cabos de aço para prendê-los, com preço baixo. Eu mesma estou presa, repara nas fotos. Só coloquei por baixo do casaco, daí apareceu pouso.
      Mesmo que tu não vá nesta parte, eu acho que vale muito a pena. O parque tem várias partes lindas, eu iria mesmo se não tivesse a triha.

      Boa viagem, depois conta como foi 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>