319 Flares Twitter 0 Facebook 319 Pin It Share 0 Email -- 319 Flares ×

Inverno chegando, aquele friozinho gostoso que muito combina com serra.
Aqui pertinho há várias atrações: Gramado, Canela… Mas um destino muito amado por mim é Cambará do Sul. Vocês conhecem?

Adoro ir para Cambará, com ou sem visão dos cânions. Claro que o motivo principal que nos leva à região são as paisagens estonteantes dos Aparados da Serra, mas o que eu quero mostrar é que não é preciso ter medo de tempo ruim, pois esta foi uma das viagens que mais aproveitamos para a região, e nem ao menos visitamos os cânions.

Disposição das cabanas. À esquerda as Barracas Luxo, à direita as Barracas Suíte.

Para hospedagem lá já ficamos em algumas pousadas mas hoje venho com a dica de um lugar que me encantou, o Parador Casa da Montanha Eco Village. Voltei maravilhada com o local, estrutura, atendimento, opções de entretenimento e o charme sem tamanho.

O Parador faz parte da Associação Roteiros de Charme, uma seleção de hotéis, pousadas e refúgios ecológicos com características estritas de qualidade e sustentabilidade. Já estivemos em diversos hotéis da Associação e em todos eles tivemos dias impecáveis.

Terreno em frente ao restaurante: cadeira, fogueira e natureza.

 

Vamos começar pela localização, que é totalmente privilegiada, bem na estrada que leva para o Cânion Itaimbezinho. O Parador se encontra em um grande e bonito terreno, e tanto a sede como todas as barracas se encontram de frente para um riacho, que permite estar no quarto e ouvir o ruído gostoso da água corrente.

O local é super exclusivo, possui um número bem limitado de cabanas e está sempre lotado. Além do hotel, conta com um restaurante, áreas comuns de lazer e diversas atividades disponíveis. Arco e flecha, quadriciclo, passeios a cavalo, piqueniques, empréstimo de bicicleta, entre outros. Tentamos o arco e flecha, mas definitivamente não nasci para isso. Menosprezei a atividade, que é bem complexa e difícil. Mas foi super divertido ficar tentando.

Leandro no arco e flecha

 

Mas com todas atividades que estavam à nossa disposição, a que mais gostamos foi explorar o gigantesco terreno da pousada. Muito verde, riachos, animais e aquela sensação de estar num lugar inexplorado.

Os quartos são construções individuais, como barracas, mas com muita estrutura. Especialmente planejadas para as temperaturas extremas da região, todas as cabanas são térmicas. Camas excelentes, isolamento, uma bela decoração, redes nas varandas e uma vista de tirar o fôlego.
Todas as barracas possuem som ambiente, cujas caixas de som tem controle de volume e podem ser desligadas a qualquer momento, e a seleção de músicas aumenta a sensação de liberdade e relaxamento.

Vista da rede da varanda

 

A Cabana Luxo, a menor, não possui chuveiro, apenas sanitário. Para o banho há uma casa de banho, que é confortável e com um bom espaço individual, pois cada cabine tem um box bem espaçoso e um ambiente seco com prateleiras e secador de cabelo. Para nós isso não foi problema. Íamos para a jacuzzi e já levávamos nossas coisas para o banho, depois de um tempo íamos pro banho e já ficávamos para o jantar.
Esta foi a primeira cabana em que ficamos, incrivelmente aconchegante.



A segunda cabana em que ficamos, a Cabana Suíte, essa era o céu na terra. Grande, com banheiro completo e, como se a vista já não bastasse, tinha uma pequena banheira na varanda, que usa água natural (que pode ter uma cor diferente, não se assuste, ela vem do riacho), de frente para aquele pôr do sol lindo. A parte de dentro é toda de tecido, com os mesmos detalhes na roupa de cama, sofá, cortinas, tudo combinando com muito bom gosto. Um charme sem tamanho!

Barraca suíte.

 

Como estrutura de lazer, uma jacuzzi deliciosa, onde batíamos cartão todas as noites. Os espaços externos e internos são charmosos e muito bem planejados para permitir relaxar após os passeios do dia.

Por do sol visto do quarto

 

O café da manhã é uma delícia, não possui aquela variedade enorme, e itens super diferentes como um grande hotel, mas é excelente. Com produtos locais, geleias divinas e algumas coisas feitas no próprio parador, tudo era muito caseiro e estava muito gostoso. O cardápio do restaurante para o almoço e jantar é informado antes de cada refeição, é escolhido e vale muito a pena. Além do local ser distante da cidade, o que torna melhor comer no próprio hotel, a comida é maravilhosa e tem ingredientes típicos gaúchos. Dica: coma no hotel, ele fica a 10km de estrada de chão da cidade, não vale a pena perder tempo com o deslocamento, quando os preços são bons e a comida uma delícia. O local onde acontecem as refeições é super gostoso, com janelas enormes de vidro e a vista do vale. Atendimento impecável, e atenção especial inclusive da cozinheira que veio conversar sobre um prato especifico que gostamos muito.



Visual do restaurante, no café da manhã

 

O atendimento, aliás, foi outro ponto alto, pois todo o pessoal da pousada foi educado, gentil, simpático e prestativo, tentando auxiliar e resolver qualquer problema. E se tem algo que me ganha em hotéis é ser bem atendida, e as pessoas pareciam ter prazer em ajudar.

Nos dias em que estivemos na pousada havia muita neblina e foi impossível visitar os cânions, pois a visibilidade estava péssima, Mas a estrutura do Parador supriu completamente a “falta” do que fazer.

Recomendo muito o Parador, adorei tudo. E para finalizar a imagem captada na nossa estada que me conquistou e me faz sentir saudades.

 

E não, esse post não é patrocinado, foi amor de verdade!

🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>