0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Pin It Share 0 Email -- 0 Flares ×

Tudo na Suíça é caro, não há muito como fugir. Aqui vou fazer um resumo dos principais custos: hospedagem, alimentação e transportes.

DCIM117GOPRO

HOSPEDAGEM

Uma das coisas que nos fez economizar um pouco na viagem foi utilizar o AirBnb para reservar nossas hospedagens. Tudo era caro, inclusive albergues com quartos compartilhados. Como eu não gosto muito de quarto compartilhado, resolvemos tentar o AirBnb e adoramos.

Segue abaixo as indicações de cada cidade que ficamos.

Lausanne:

Reservamos com o Armando. Ele é simpático e nos ajudou muito, dando dicas de restaurantes e locais para passear. Localização excelente, bem pertinho da estação de trem. Casso carregue malas grandes vai ser chatinho, pois o caminho é uma subida leve e constante, e na última quadra uma lombinha para chegar ao apartamento.

Preço: 75 dólares.

Quarto grande, banho bom, tudo certinho. Utilizamos a cozinha sem problema nenhum.

lausanne

Link aqui.

Berna:

Nossa hospedagem predileta na Suiça. O Kai é incrível, simpaticíssimo, fez com que nos sentíssemos em casa, e estava sempre disposto a conversar sobre qualquer assunto.

A localização era perto da estação de trem, coisa de uns 10 minutos caminhando.

Preço: 67 dólares.

O quarto era enorme, tudo novinho e limpo.O banheiro e banho eram ótimos. Ele providenciou itens básicos como escova de dentes, sabonete, tudo super ajeitadinho, como em um hotel. Utilizamos a cozinha e não semtimos falta de absolutamente nada. Gostamos tanto que ficamos um dia a mais.

Indico MUITO.

Chur:

Estava muito em cima da hora e não conseguimos reservar pelo AirBnb. Ficamos no Ibis, sem café da manhã, mas com o melhor atendimento possível. O pessoal da recepção era muito engraçado, de tão educados. Eles revezavam falando de como funcionava o hotel, e enquanto um falava o outro ficava nos olhando sorrindo. Rimos bastante.

Preço: 100 francos suíços.

Quarto super pequeno, mas nos serviu bem.

Brig:

Queríamos ficar em Zermatt mas os preços eram muito maiores. Como tínhamos o Swiss pass, e não se consegue passear muito cedo por lá (por causa da neblina), resolvemos ficar em uma cidadezinha antes. Escolhemos no AirBnb um quarto muito perto da estação de trem. Chegamos tarde, dormimos e saímos cedo.

Localização ótima. A cama era um colchão no chão. Os donos eram mega queridos, nos ajudaram com todo nosso planejamento dos próximos dias. Tinha água no quarto e algumas frutas.

Esse quarto não está mais disponível no Air BNB.

Annecy – França:

Esse foi o único local que tivemos algum problema. Mas foi apenas porque não nos organizamos direito. Na verdade nos passaram o endereço sem o número do apartamento. Chegamos lá e não tínhamos como falar com eles nem entrar no prédio. A nossa sorte foi uma moradora extremamente prestativa que nos ajudou. Perguntou se tínhamos o nome dele, passei para ela, ela entrou e procurou nas caixinhas de correios o nome e entrou em contato com o cara. Mas foi pura sorte, caso contrário, estaríamos perdidos.

Preço: 37 dólares

Foi a hospedagem mais barata, mas tudo certo. Só que a cama era tão alta que não tínhamos como sentar nela. Era preciso entrar e sair se arrastando. Quando levantávamos no susto batíamos a cabeça no teto, exatamente como na foto abaixo.annecy

 

TRANSPORTE

A rede combinada Suíça chega a todos os cantos do país, com conforto, agilidade e pontualidade incríveis. É uma malha ferroviária/ ferroviária/ hidroviária que permite atravessar todos oa lagos, montanhas e penhascos de forma fácil. Mas toda essa perfeição tem um preço, e é alto.

O swiss pass vale a pena quando tu vais fazer mais de um trecho de transporte por dia, mas para escolher, não tem jeito: somente somando cada trecho que tu pretende fazer e comparando. Nós não chegamos a fazer isso, mas fizemos uma conta de padaria. O passe de três dias custa o equivalente a 70 francos suíços por dia por pessoa.

No primeiro dia faríamos o trecho Genebra – Lausanne apenas. No segundo e terceiro dias acabamos ficando em Berna. Então como queríamos passar o último dia em Annecy e entre Berna e Annecy tínhamos 3 dias livres, escolhemos o Swiss Pass de 3 dias consecutivos, ao custo de 210 francos suíços por pessoa. Dessa forma po´diamos escolher na hora o que fazer.

Não cheguei a fazer os cálculos após voltar, mas acredito que tenha valido a pena, pois podíamos viajar sem planejamento, e como exemplo, um trecho curto (Genebra – Lausanne) custou 27 francos.

Os tíquetes individuais podem ser comprados aqui. O site é em inglês e bem simples. Já o Swiss Pass compramos na estação ferroviária de Berna, pois tínhamso algumas dúvidas, e já queríamos fazer as reservas para os trens panorâmicos, e eu acreditava que seria difícil no site ou nas máquinas.

Durante os três dias, de vez em quando aparecia alguém para conferir os bilhetes. Todo o transporte é terrivelmente pontual, e até as conexões de 3 minutos que estavam nos deixando apavorados, foram super tranquilas.

 

ALIMENTAÇÃO

Aí eu confesso que a coisa aperta para quem viaja com dinheiro contado. Nós não costumamos cozinhar quando viajamos, normalmente fazemos um lanche no almoço, pois não gosto de parar no meio do dia. E à noite jantamos em um lugar legal.

Como nenhuma das nossas hospedagens tinha café da manhã, sempre comprávamos itens para fazer um lanche ao acordar, antes de sair.  E como sempre sobravam frios e pães, acabávamos muitas vezes almoçando um sanduíche que tinha ficado na mochila.

Na verdade os sanduiches prontos custavam uns 4 francos suíços, mas preferíamos azer os nossos, mas caprichados.

Lembro que fiquei chocada ao ver o preço de uma bandejinha de frango picado no supermercado, que devia ter meio quilo de carne e custava 10 francos. Gastávamos uns 50 reais por dia nessas comprar para café da manhã que acabavam virando almoço também.

Sempre comprávamos no Migros ou no Coop, com preços bons (no padrão suíço). Eles tem também comida à quilo, com uma variedade incrível e preços super dignos. Comida bem gostosinha, alguns almoços foram assim.

Pra quem pensam em McDonalds, a brincadeira sai mais de 10 francos por pessoa, então não valia a pena trocar nossos sanduíches por McDonalds.

Para jantar, em restaurantes, os preços eram bem maiores. Os pratos em restaurantes bons giravam entre 20 e 30 francos. Num ótimo restaurante em Berna, o prato de massa custou 25 francos suíços, e os pratos com carnes custaram bem mais.

Chopp num happy hous na rua: 8 francos suíços.

Raclette na rua: 10 francos suíços (e pequenininho).

Chopp em bares: 10 francos suíços.

Nós jantamos em lugares legais, mas esteja ciente que a brincadeira custa facilmente trezentos reais.

 

Confesso que tirando a alimentação, o restante não nos assustou tanto. Para quem não pode gastar, deve ser complicadinho se alimentar sem viver de sanduíche vários dias.

Nós aproveitamos bem a viagem, mas já estávamos rpeparados para os custos. O importante é saber antes de ir, e se planejar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>